TÍTULO: O Jantar
TÍTULO ORIGINAL: Het Diner
AUTOR(A): Herman Koch
EDITORA: Intrínseca
PÁGINAS: 256

SINOPSE:
Um fenômeno best-seller internacional, um suspense sombrio, conto altamente controverso de suas famílias que lutam para tomar a decisão mais difícil de suas vidas no percorrer de uma refeição. É noite de verão em Amsterdã e dois casais se encontram em um restaurante da moda para jantar. Entre garfadas de comida e raspadas educadas de talheres a conversa permanece um zumbido suave de discurso educado - a banalidade do trabalho, a trivialidade das férias. Mas por trás de palavras vazias, coisas terríveis precisam ser ditas, e com cada sorriso forçado e cada novo rumo as facas estão sendo afiadas. Cada casal tem um filho de quinze anos de idade. Os dois meninos estão unidos por sua responsabilidade por um único ato horrível, um ato que provocou uma investigação policial e quebrou as confortáveis e isoladas vidas de suas famílias. A medida que o jantar atinge seu clímax culinário a conversa finalmente toca em seus filhos. Assim como a civilidade e amizade desintegra-se cada casal mostra o quão longe eles estão dispostos a ir para proteger aqueles que ama. Uma escrita tensa e incrivelmente emocionante, contada por um narrador inesquecível, O Jantar promete ser o tema de inúmeros jantares. Espetando tudo, desde os valores dos pais, menus pretensiosos a convicções políticas, este romance revela o lado obscuro da gentil sociedade e pergunta o que cada um de nós faria em face de uma inimaginável tragédia.



RESENHA:

Há um tempão eu queria ler O Jantar, e a cada resenha que via minha ansiedade aumentava. Até que comprei em um grupo no Facebook e quando ele chegou corri para ler e o devorei. Digo para vocês: a espera valeu muito a pena!

Não posso falar muitas coisas do livro, pois o mais legal está em ir descobrindo tudo ao longo da leitura, e garanto que muita coisa é revelada muitas páginas depois do começo. A cada revelação sobre o caráter dos personagens, o leitor se vê totalmente chocado com o que foi lhe dito; Herman Koch tem uma escrita tão rica que cada cena deste livro não passa despercebido.

No livro, não existem personagens bons ou maus, apenas pessoas que tem defeitos e qualidades, medos e culpas; cada personagem exerce sua função no livro, até mesmo o garçom do restaurante, todos eles estão ali para fazer uma lembrança reviver na mente do narrador ou ser motivo de ódio. 

O livro é narrado em primeira pessoa por Paul, que vai nos relatando o que acontece no presente e o que aconteceu no passado, a fim de conhecermos tudo sobre os dois casais. Mas deve-se acreditar em Paul? Isso cabe ao leitor descobrir.

Gente, o motivo do jantar é simplesmente chocante. A coisa toda por trás daquilo, o que aqueles dois jovens fizeram foi um ato desumano, mas Paul não concorda, e então nos vem a pergunta: devemos sempre proteger os nossos filhos?
O Jantar é um livro assim; te faz pensar em tudo o que você já fez de errado, e em suas atitudes para com o próximo. 
E como já dizia Albert Einstein: ''O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade.'' 




4 Comentários

  1. Não conhecia a obra, mas fiquei mais do que interessado. Uma maneira bem chamativa de trabalhar um tema pesado.
    Quero ler, sem dúvidas.
    Ótima resenha.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de janeiro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gus! Tudo bem? A minha vontade de ler "O Jantar" (que já era grande) aumentou após ter lido sua ótima resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gus, tudo bem?
    Não conhecia "O Jantar" e confesso que sua empolgação me deixou com vontade de ler o livro.

    Abraço!
    Tudo Online | Participe do sorteio do livro "A caixa de Natasha"

    ResponderExcluir
  4. Gus!
    Nossa! Deve ser um bom thriller psicológico, onde aos poucos vamos descobrindo os detalhes do que aconteceu e conhecendo a personalidade das personagens envolvidas.

    Obrigada pela visita feita ao blog, volte sempre.

    Desejo um 2016 carregado de saúde, realizações e muito sucesso em tudo que empreender.
    “Um brinde cheio de entusiasmo e sensibilidade com aquele brilho nos olhos de criança descobrindo o mundo por todos os bons sentimentos que fazem bem a alma ,um brinde exatamente aquelas emoções mágicas que nos tornam melhores,um brinde a beleza de ser um eterno aprendiz .” (Giovanni Dulor Chagas)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir